quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Modalidades da Pintura: Métodos Direto e Indireto

É importante que o iniciante no procedimento da pintura entenda sobre duas abordagens completamente distintas de como proceder tecnicamente. Ambos com suas finalidades, dificuldades e métodos totalmente distintos. A escolha de um desses métodos invariavelmente se deve ao tipo de atmosfera ou "efeito final" que se deseja num trabalho.

O método direto é também conhecido como "alla prima", do Italiano "de primeira". O nome do método foi dado de acordo com a premissa de que o pintor realiza sua obra "de uma só vez", sem intervalos longos. Mais importante do que tentar identificar esse método através do tempo em que o pintor usou para criar a obra, seria entender que ele consiste em pintar todas as partes de uma obra enquanto a tinta está "molhada", ou como alguns profissionais costumam chamar "ainda aberta". Dessa forma, as cores e degradês se misturam e se fundem criando um efeito entre o impasto de cores que é chamado de "painterly" nos EUA. De fato, painterly poderia ser traduzido como pictórico, fazendo juz ao efeito da técnica, pois o resultado é inegavelmente identificado por qualquer observador como uma obra de pintura. É o método mais usado por aqueles que pretendem alcançar um ar de "frescor", ou de espontaneidade. Uma das vantagens do método (assim como uma dificuldade) é que o tempo de execução, quando comparado a outro método, é muito mais rápido. Um exemplo de método direto são os trabalhos do artista inglês John Singer Sergeant.

Sargeant: Método direto

O método indireto, também é conhecido como técnica em camadas. Como sugere o nome, essa técnica faz uso de uma abordagem onde o artista trabalha em etapas, geralmente esperando que cada etapa seque antes de começar a próxima. As vantagens do método indireto são o uso das camadas transparentes de tinta, chamadas veladuras, e de seus efeitos óticos. As veladuras, compreendendo finas e transparentes camadas de tinta, deixam visíveis quaisquer pinceladas prévias que existam por debaixo da etapa que está sendo pintada, desse modo, criando um efeito ótico onde vemos várias camadas de pintura um através do outro. A soma dessas camadas cria um efeito muito diferente do método direto. É uma técnica que exige paciência, pois os valores e contrastes são construídos lentamente, "véu por véu". Alguns artistas usam inúmeras veladuras e camadas, enquanto outros, somente duas ou três etapas, tudo depende do efeito que voce tenta alcançar. A desvantagem do método é o longo tempo consumido para pintar uma obra. No entanto, é a única maneira de se alcançar um efeito pictórico onde não haja a marca do gesto ou da pincelada, criando uma pintura lisa e sem marcas. Exemplos de métodos indiretos são os trabalhos do artista Michelangelo Merisi da Caravaggio.

Caravaggio: Método indireto

2 comentários:

  1. Olá, Márcio!

    Cheguei ao teu blog por indicação de Leonardo Climaco e estou encantada! Li apenas dois de seus posts e acho que vc já me respondeu, no mínimo, umas 10 dúvidas!
    Sou iniciante na pintura. Até agora minhas incursões no universo da arte estavam restritas ao desenho e confesso que tenho sentido grande dificuldade de me entender com as tintas e pinceis. Encontrar um blog como o seu é um presente!

    Se vc tiver um tempinho, ficaria honrada se pudesse visitar meu blog. Lá posto os exercícios de desenho (os de pintura ainda não tive coragem de expor! rsrsrs)

    www.lusoriano.blogspot.com

    Um abraço e mais uma vez parabéns pelo excelente blog!

    Luciana Soriano

    ResponderExcluir
  2. Oi Luciana! O Leonardo é um grande colega, trocamos muitos e-mails! Fico muito contente que tenha achado o Blog útil. Vou com certeza visitar seu Blog, pod deixar! Obrigado por seus elogios! Um abraço!

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: Devido a grande número diário de mensagens, limitamos o número de publicação de perguntas e respostas: sua pergunta poderá não ser publicada. Contamos com sua compreensão, obrigado!