segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Resolução dos Cádmios

Durante todo o ano de 2015 discutiu-se qual seria o futuro do mercado de tintas com a restrição do uso de pigmentos de cádmio. Vale a pena relembrar a discussão, pormenorizada no artigo "Adeus aos Cádmios".

A CEPE (Associação Européia de Tintas Artísticas) com auxílio de muitas empresas e instituições interessadas em vetar a restrição proposta pela ECHA (Agência de Químicos da União Européiaparticipou ativamente da comissão, provendo informações pertinentes acerca do uso do material na comunidade artística, assim como os efeitos causados por ele no ambiente. 

No dia 28 de Outubro de 2015, a Comissão Européia anunciou (após meses de atraso) sua resolução sobre a questão: não adotarão a restrição sugerida pela ECHA, significando que tintas a base de cádmio continuarão a serem produzidas e comercializadas na Europa e nos EUA, continuando a serem exportadas para todo o mundo.


Vermelho de Cádmio: Winsor & Newton

A conclusão do comunicado (em inglês, na íntegra aqui) é a de que "a presença de cádmio em tintas artísticas não apresenta um risco inaceitável a saúde humana e não necessita restrição na disponibilidade de cádmio no mercado ou de seus componentes usados em tintas artísticas". 

Uma das notas mais interessantes é a conclusão de que apenas 1,5% do volume total de cádmio que chega ao ambiente é proveniente de tintas artísticas, portanto, irrelevante quando comparado ao restante do volume produzido por outras atividades industriais. Por hora, o cádmio como substância usada em tintas artísticas está a salvo. Há no entanto, outras questões envolvidas nessa problemática não levadas em consideração.

Mas, essa resolução não quer dizer que não haverá uma nova análise, caso apareçam novas evidências. O interesse por trás da restrição (ou a falta dela) é um assunto complexo e delicado, e facilmente renderia um longo e polêmico artigo.

Links
ECHA http://echa.europa.eu/
CEPE http://www.cepe.org/